Arquivo da categoria: …do passado

falha palavra

“Para todo mundo, o silêncio chega antes da verdade”.

(Nawal Marwan, interpretação de Lubna Azabal)

.

Incêndios, 2010

direção: Denis Villeneuve

condenado pelo passado

– Edie, querida, você está bem?

– Me conte a verdade.

– A verdade?

– Por favor. Você pode fazer isso, não pode? Você pode, não é? Por favor.

– O que você acha que ouviu?

– Não é o que eu ouvi. É o que eu vi. Eu vi Joey. Eu vi você se transformar em Joery diante dos meus olhos. Eu vi um assassino sobre o qual Fogarty me avisou. Você matou pessoas na Filadélfia, não foi? Foi por dinheiro? Ou apenas porque você gostava?

– Joey matou, pelos dois motivos. Eu não matei ninguém. Tom Stall não matou.

(Tom Stall e Edie Stall, interpretação de Viggo Mortensen e Maria Bello)

 

Marcas da Violência, 2005

direção: David Cronenberg

cicatrizes

“Na verdade, ainda somos garotos de 11 anos trancados num porão imaginando como seriam nossas vidas se fugíssemos”

(Sean Devine, interpretação de Kevin Bacon)

 

Sobre Meninos e Lobos, 2003

direção: Clint Eastwood

toy story

“O mundo é um playground. A gente sabe disso quando ainda somos crianças, mas em algum momento ao longo da vida todo mundo se esquece”

(Allison, interpretação de Zooey Deschanel)

.

Sim Senhor, 2008

direção: Peyton Reed

a justiça tarda…

 

– O que você quer? Quem é você?

– Dave Jenkins.

– Dave Jenkins morreu há muito tempo.

– Calder Benson.

– Qual é o seu nome? Benson também está morto.

– Você deve saber disso, Frank, melhor do que todo mundo. Você os matou.

(Frank e Harmonica, interpretação de Henry Fonda e Charles Bronson)

 

Era Uma Vez no Oeste, 1968

direção: Sergio Leone

avanços técnicos

Anos após Alfredo ter ficado cego por um incêndio provocado pela queima de uma película

– Fique parado…não disse? O filme não queima mais.

– O progresso sempre chega tarde.

(Salvatore Di Vita e Alfredo, interpretação de Marco Leonardi e Philippe Noiret)

 

Cinema Paradiso, 1988

direção: Giuseppe Tornatore

com o tempo sara

“É claro que eu sou respeitável. Eu sou velho. Políticos, prédios feios e prostitutas se tornam totalmente respeitáveis quando duram bastante”

(Noah Cross, interpretação de John Huston)

 

Chinatown, 1974

direção: Roman Polanski