Arquivo do mês: maio 2010

pragmatismo na ponta da espingarda

– Por que você não chamou a polícia?

– Bem, você sabe, eu rezei para eles aparecerem, mas ninguém respondeu.

(Padre Janovich e Walter Kowalski, interpretação de Christopher Carley e Clint Eastwood)

 

Gran Torino, 2008

direção: Clint Eastwood

Anúncios

antes fora do tempo que fora da moda

– Você sabe que horas são?

– Um relógio não combina muito com essa roupa, papai.

(Mel e Cher Horowitz, interpretação de Dan Hedaya e Alicia Silverstone)

.

As Patricinhas de Beverly Hills, 1995

direção: Amy Heckerling

libertas quae sera tamen

“O meu cabelo, tal como o de Jesus. Aleluia! Eu o adoro. Aleluia! Maria amava o seu filho. Por que minha mãe não me ama?”

(George Berger, Woof e Hud, interpretação de Treat Williams, Don Dacus e Dorsey Wright)

 

Hair, 1979

direção: Milos Forman

sincera ilusão

– Espere. Não, por favor espere. Antes, quando nós… Quando você pensava que eu fosse o duque, você disse que você me amava, e, eu queria saber se…

– Se eu estava fingindo?

– Sim.

– Claro que eu estava!

– Oh… Parecia tão sincero o seu amor…

– Christian, eu sou uma cortesã. Sou paga para fazer os homens acreditarem  naquilo que quiserem acreditar.

(Christian e Satine, interpretação de Ewan McGregor e Nicole Kidman)

.

Moulin Rouge!, 2001

direção: Baz Luhrmann

metalinguagem

– Siga aquele táxi.

– Eu achava que isso só acontecia nos filmes.

(Pepa e Taxista, interpretação de Carmen Maura e Guillermo Montesinos)

 

Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos, 1988

direção: Pedro Almodóvar

salvem os bobos

– Eu estava cansada de submeter a minha identidade à de um homem brilhante e dominador. Ainda que ele fosse um gênio.

– Realmente, ele era genial. (…)Você conhece muitas pessoas geniais, sabe. Deveria conhecer algumas pessoas estúpidas de vez em quando. Poderia aprender alguma coisa com elas. 

(Mary Wilke e Issac Davis, interpretação de Diane Keaton e Woody Allen)

.

Manhattan, 1979

direção: Woody Allen

crise de identidade

“Um homem pode convencer qualquer um de que ele é outra pessoa, mas nunca ele mesmo”

(Verbal Kint, interpretação de Kevin Spacey)

 

Os Suspeitos, 1995

direção: Bryan Singer